Você sabia?
Hipertensão é presente em aproximadamente 80 % dos pacientes com Doença Renal Crônica. Leia mais fatos sobre esta associação, a seguir.

1. Hipertensão e Doença Renal Crônica

Hipertensão correlaciona-se com Doença Renal Crônica (DRC) de várias maneiras. A Hipertensão pode independentemente causar DRC, contribuir para o seu desenvolvimento ou mesmo ser o resultado da DRC. Estudos mostram que à medida que a função renal piora existe a tendência que a pressão arterial do indivíduo aumente. Além disso, o tratamento da Hipertensão tem se tornado a intervenção mais importante no manejo de todas as formas de doença crônica dos rins.

2. Por que a Hipertensão é tão importante?

Primeiramente, o melhor controle da pressão arterial reduz a progressão da DRC, tornando menos provável que o paciente venha a necessitar de diálise. Em segundo lugar, pacientes com DRC têm maior probabilidade de sofrer de doenças cardiovasculares do que de necessitar de diálise. Em outras palavras, reduzir a pressão arterial irá reduzir o risco de doença cardíaca, que para a maioria dos pacientes com DRC é uma ameaça mais imediata do que a própria insuficiência renal crônica (IRC).

3. O que pode ser feito para controlar a Hipertensão?

Mudança de hábitos de vida, exercício regular e dieta podem ter um profundo impacto na pressão arterial e na saúde global. Perda de peso tão pequena quanto um ou dois quilos pode ter um impacto dramático na pressão arterial, que pode ser também reduzida através do menor consumo de álcool.

O uso de medicações é também essencial e inclui o uso de remédios para reduzir a pressão arterial, para controlar o colesterol e para reduzir o risco de doenças cardíacas como o infarto e o derrame (acidente vascular cerebral). Independentemente das medicações utilizada ou das mudanças de hábitos de vida adotadas, pode-se ficar seguro de que ao atingir as metas de pressão arterial os pacientes com doença renal crônica reduzem seu risco de vir a necessitar de diálise ou de experimentar um evento cardiovascular adverso.

4. Crescimento da prevalência global da Hipertensão na população mundial

Hipertensão é um problema global crescente. A população mundial está ficando mais idosa e o envelhecimento é o fator de risco mais comum para o desenvolvimento da Hipertensão e do Diabetes, assim como da Doença Renal Crônica (DRC). Aproximadamente um bilhão de pessoas em todo o mundo sofre de Hipertensão e este número deverá crescer para 1,56 bilhões de indivíduos em 2025. A prevalência de Hipertensão deverá aumentar em 24% nos países desenvolvidos e em 80% nas regiões em desenvolvimento como a África e a América Latina. Um relato recente aponta que 333 milhões de adultos nas regiões economicamente desenvolvidas como a América do Norte e a Europa tinham Hipertensão em 2000, havendo ainda um adicional de 639 milhões de hipertensos residentes nos países em desenvolvimento.

5. Ingesta de sal e Hipertensão

O rim é responsável pela excreção do sal existente naturalmente nos alimentos que o organismo necessita. Entretanto, comendo nos moldes atuais, muitas pessoas acumulam mais sal e água do que seus rins podem manejar, e este excesso de sal sobrecarrega também nosso sistema cardiovascular. Quanto maior a pressão arterial, mais reduzido é o fluxo renal de sangue, o que reduz a função de nossos rins e em última análise facilita o desenvolvimento de doença renal crônica.

Uma dieta saudável com redução de sal em torno de 5 gramas (100 mmols de sódio) reduz substancialmente a pressão arterial. Além disso, medindo a pressão arterial regularmente e usando medicamentos quando necessários, obtém-se a redução da incidência e o risco de doença renal crônica.

Fonte: site do Dia Mundial do Rim ( http://www.worldkidneyday.org/ )